Categorias
Conversão Formatos de Arquivo USB video

A Partida

Processamento do filme A Partida para a TAY, notas técnicas da conversão.

A Partida, Imagem de promoção
Imagem de promoção do filme A Partida

A Partida é um ótimo filme ganhador do Oscar de melhor filmes estrangeiro de 2009.

Estas notas são as memórias do processo de conversão do filme em formato DVD para arquivo em pendrive para apresentação em aparelho de TV sem o recurso de DVD acomplado.

Não, com certeza os procedimentos realizados neste trabalho foram feitos nesta ordem nem tampouco os retumbantes fracassos foram registrados aqui.

O trabalho demorou mais do que se esperava, muito provavelmente pois eu tinha receio dos resultados obtidos. Receiava que o filme fosse apresentado em formato de pendrive para quem não precisava assistir ao filme no momento.

Para o formato ISO

propriedades do disco dvd em estudo
propriedades do disco dvd em estudo

Ainda não entendi bem porque, mas este disco não conseguiu ser montado em meu desktop slackware 14.0. Será que temos alguma incompatibilidade de formatação? Ainda terei que investigar isso em algum outro momento. De qualquer forma, não sei se o meu drive de DVD está funcionando bem.

Lendo o disco em um WinXP, consigo ver que trata-se de um disco em formato UDF, com 6Gb gravado.

Que alterações nas configurações do meu desktop são necessárias para que consiga ler este disco? Será que esta unidade de disco DVD que é mais recente, não consegue ler o disco que o velho Compaq conseguiu ler? Não parece muito razoável.

De qualquer forma, sempre cabe a pergunta. Esta unidade de DVD está conseguindo ler algum tipo de disco? Quais? Em que casos, ele não consegue montar?

Menu principal do ImgBurn
Menu principal do ImgBurn

Usando o ImgBurn, fiz uma cópia do disco em formato ISO e gravei em um HD externo para preservar o disco DVD.

Com a cópia em formato ISO,fiz alguns testes com o Windows 7 em VirtualBox, especificando esta imagem como o DVD da máquina conseguindo fazer como que o VLC tocasse o DVD perfeitamente.

No meu desktop Slackware, consigo montar e desmontar esta imagem como uma estrutura de arquivos no meu slackware desktop com o comando.

# mount -o loop /media/hd250/A_PARTIDA.ISO /mnt/dvd
# umount /mnt/dvd

Usando o K9Copy converti o DVD do ISO,  fiz uma cópia do filme em formato mpg.

Arquivos com mais de 4Gb.

Um dos problemas observados com os arquivos de video gerados para serem carregados em pendrive é o seu tamanho. Com formato Fat32, em geral usados pelas televisões, o tamanho máximo de arquivo é de 4Gb.

Para controlar o tamanho máximo do arquivo de vídeo, usei o ffmpeg :

ffmpeg -i A_PARTIDA.avi -fs 3500M -target pal-dvd -aspect 16:9 A_PARTIDA.mpg

Note o parametro -fs que dá o limite para o tamanho do arquivo de saida. Podemos estar perdendo em qualidade do filme no arquivo de saida, mas ainda temos a possibilidade de utilizar o pendrive.

 

Legendas

O tratamento das legendas pode ser um desafio a parte. Neste caso, o audio original é em japonês,  com uma dublagem em português! A cópia conta ainda com legendas em portugues e em ingles. A opção neste caso é por audio original e legenda em portugues.

Os arquivos de vídeo são envolucros com diversos sub-arquivos dentro dele. O que pode ser observado com :

ffmpeg -i A_PARTIDA.mpg

Isso faz uma breve analise do arquivo de entrada, listando os diversos sub-arquivos no arquivo de filme.

Comandos como

ffmpeg -i VTS_01_1.VOB -vn -an -codec:s:0.0 srt sub.srt

ffmpeg -i APartida-chapter03.mpg -vn -an -c copy output.srt

 

podem ser usados para extrair e copiar as legendas contidas no arquivo de filme.

As ferramentas de extração de filmes (rip) como o HandBrake tem a função para manusear também as legendas. Como por exemplo, gravar o arquivo de video (avi, mpg, mp4, etc) já com a legenda escolhida, ou mesmo extriar a legenda para um arquivo .srt  de legenda.

Alternativamente, as legendas, são arquivos bem menores do que os videos e os audios, e estão amplamente disponível pela internet, como por exemplo no FileBot.Net.

Video em PenDrive na TV com entrada USB.

Observei que cada modelo de TV tem o seu próprio conjunto de formatos (AVI, MP4, MPG, etc) aceitos e reproduzidos. No caso de legendas, o tratamento é ainda mais singular. Não há muito o que fazer, alem de experimentar em cada caso.

Demorei mais do que esperava…..

Realmente demorei mais do que esperava para fazer este trabalho. Porque será?

Parece estar claro que esta coisa de processar filmes tem muitas variáveis sobre as quais ainda tenho que me desenvolver…

Outro ponto, que me chama a atenção é quanto ao receio quanto aos resultados. Temo que esta peça seja apresentada a quem não precisa ve-la. O meu inconsciente parece estar sabotando o trabalho e mantendo o resultado final afastado. Isso é algo preocupante.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.